Arquivos Mensais: Fevereiro 2016

A poesia serve para muita coisa

Anda por aí um trapeiro cujo nome verdadeiro tem um S lá pelo meio e começa por Manel. Escreva peças a granel e da sua apara seca, sai do bestunto ao Fonseca coisas que põe no papel . Nem vale … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 10 Comentários

88ª Cerimónia dos Oscars, ou Festa do Avante, do Bloco, ou lá o que foi

Pensei que iria assistir à 88ª cerimónia dos Oscars mas, afinal, assisti a um comício. Com umas breves referências a filmes pelo meio, é certo, e entrega, entre palmas, de umas estatuetas desrespeitadoras da gravitas das causas em questão. Na ânsia … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 15 Comentários

“We crave a different kind of buzz”

Em 2013 nasce “Royals” em “Pure Heroine” pelas mão de Lorde. Em 2015 antes de morrer David Bowie diz que Lorde é o futuro da música. David Bowie diz, eu acredito de olhos fechados e ouvidos bem abertos!   * … Continuar a ler

Publicado em Post livre | Deixe o seu comentário

PARTIDAS E (NUNCA) REGRESSOS

  A cidade existe e tem um simples segredo: só conhece partidas e nunca regressos.*  Office. Coimbra, 2016. © Honigod.   * As Cidade Invisíveis, Italo Calvino.  

Publicado em Post livre | 2 Comentários

My name is Faro

Sobre foto de Pedro Bidarra

Publicado em Post livre | Deixe o seu comentário

Neste Dia 29 de Fevereiro

Em Lisboa estou neste ano bissexto, dia 29 de fevereiro. Nas páginas de um romance, um incesto improvável acontece em pleno Chiado, «dois passos adiante do Grémio». Mas o prazer é algo de agonia e daí a busca geográfica distante … Continuar a ler

Publicado em Está Escrito | Deixe o seu comentário

Self-indulgence

  Já fiz catolicíssimos exames de consciência. Já fiz  revolucionárias auto-críticas. Descobri que não sou lá muito bom nisso. Não me convenço a mim e não convenço as respectivas cleresias.  O meu problema é que sou sempre demasiado. Às vezes, demasiado … Continuar a ler

Publicado em Escrita automática | 2 Comentários

O proletariado

  Patrick Besson é o meu cronista francês favorito. É de esquerda e escreve numa revista de direita. Foi, ou talvez ainda seja, comunista. E para Besson não é fácil: como é que se pode ser comunista num país onde … Continuar a ler

Publicado em Escrita automática | 6 Comentários

A SEMANA ANTES DO MEU SUICÍDIO

  Estava a tentar acabar um relatório para entregar ao comité de especialistas da ONG em que me tinha inscrito. Tudo começou com uma grande vontade de me tornar útil. Estava farto daquela vida… Tinha tentado várias coisas, o desporto, … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 2 Comentários

Carta a Arsenii Tarkovsky (*)

Caro Arsenii, querido pai, Tal como me ensinaste, peguei no destino, atei-lo à sela e decidi permanecer no futuro. Hirto nos estribos, como uma criança. Do local para onde me trouxeste, olho agora o passado. Vejo, já o adivinhaste,  uma … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 4 Comentários

A Feira Popular

    Os vizinhos vieram perguntar-me se eu tinha “Memórias da Feira Popular”. Nem hesitei. Ainda me lembro do ‘ronco’.

Publicado em Ando Nisto | Deixe o seu comentário

Vice-versa

Dorothy Parker escreveu poesia, contos e também muita sátira. Bichos-caretas como eu, que conheçam um terço da história da “New Yorker”, sabem que ela foi uma das almas, não necessariamente penadas, dessa famosa revista. Parker era a única mulher a … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 1 Comentário

PORNO

Os Arcade Fire têm grande parte das músicas que compõe a banda sonora da minha vida. A eles devo-lhes o som da melancolia que me assombra, das ganas quando salto para um desafio no meio da escuridão, do suor de … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 1 Comentário

A conta de um homem morto

É um sentimento triste, estranho e desconfortável darmos com a conta de um homem morto. Abre-se o Facebook ou o Twitter, ou outra qualquer rede social, e lá está ele, com a sua biografia, a data de nascimento, o dia … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 1 Comentário

Está dito!

Temos uma rubrica para falar de livros, Está Escrito. Mas e quando está dito? Quando está dito, e é entre Manuel S. Fonseca e Luís Caetano, é um gosto ouvir. Não acredite em mim, confirme, aqui, na Última Edição da … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 1 Comentário