Donald Trump

A razão pela qual não gosto de Donald Trump – em cuja propaganda eu vi, como o Pedro Norton aqui anunciou, a concretização, em parte, do que o romance de Philip Roth descrevera no Charles Lindbergh de The Plot Against America – é a ausência, digamos, de gentileza.
Se me pedissem para ser um tudo nada mais concreto, diria que Donald Trump não é capaz de um pingo de bondade.
Donald Trump é fracturante. E fracturante como ele é – tal como outros fracturantes de sinal contrário – Donald Trump rejeita de forma liminar e revolucionária a ideia de amar o próximo como a si mesmo.
O fracturante exclui, marca o outro com o ferrete ostracizante. Donald Trump é fracturante, um irracional campeão da exclusão. Não tinha, nem tenho ilusões, como não me iludo: Trump, por mais pretensões monopolistas que tenha, não tem o monopólio ideológico dessa exclusão irracional e fracturante.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

5 respostas a Donald Trump

  1. A Vieira diz:

    “Rosebud”…….

  2. Sim, precisamente, o alheamento da bondade.
    Isso e uma outra coisa que é apenas uma das muitas consequências dessa alheação: o culto da fealdade.
    Os comentadores políticos andariam bem se experimentassem tentar compreendê-lo – a ele, assim como àqueles de quem se rodeia – também a partir do seu gigantesco fascínio por um feio impudico.

  3. albertino.ferreira diz:

    Não deve ser coincidência mas porque é que quase todas as publicações internacionais de referência criticam a política do Sr. Trump? Exemplos: “The New Yorker”, “The Economist-An Insurgent in the White House”; “Der Spiegel- America First”, “The Atlantic- How to Build An Autocracy”, etc., e só os sabujos da FOX lhe dão tempo de antena?

  4. ana marchand diz:

    Trump é bem o exemplo do que se passa no planeta.
    esperemos conseguir remendar a fractura.

  5. guida burt diz:

    Quem, em suas sandálias remendadas, ou sem elas, pisou as areias quentes da Missão ou da Ingombota, é pouco provável gostar ou vir a gostar dessa criatura. The Wall? O dos Floyd basta-me. Só esse.

Os comentários estão fechados.