Uma palavra chega

No outro dia, e talvez por que eu desejasse tanto ter sido destemida e mais isto e aquilo num saco de impossíveis virtudes e concretizações para quem é apenas como é e nada mais, disseram-me uma das coisas mais bonitas e inesperadas que ouvi: destemido é escrever poesia.

Não precisa de ser verdade aquilo que nos dizem. Basta que acreditemos.

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

9 respostas a Uma palavra chega

  1. Bea diz:

    Acredito que, para quem é poeta, seja mesmo uma afirmação poderosa, a não esquecer. Para quem não tem essa fortuna, a afirmação podia ser, “destemido é viver a poesia”.

  2. ana marchand diz:

    sim destemido é ousarmos ser 100% o que profundamente somos . È isso que o universo nos pede.
    E perdemos tanto tempo em atalhos…a sua poesia é 100%. Bravo/a

    • EV diz:

      Não sei, Ana, se sequer podemos ser outra coisa… Quanto mais tempo passa menos sei. Obrigada.

  3. Luis Eme diz:

    Eu diria, basta que nos deixe feliz. 🙂

  4. Manuel S. Fonseca diz:

    É uma actividade escandalosa. Devia estar sob estrita vigilância.

Os comentários estão fechados.