je suis un autre 2

Saí cedo.

Gosto das manhãs frescas, da luz quebrada, do silêncio em redor

Cheguei na maré baixa quando a água desce e o pântano fica quase raso.

Olhei em redor.

Descalcei as sandálias.

Mergulhei os pés e as mãos na água

Procurei o lodo.

Escorregadio, mole. Lama, barro.

Enchi os baldes, e transportei-os para o sítio onde á água era mais baixa.

Devagar depositei o sedimento. Os estratos iam-se acumulando.

O corpo foi tomando forma.

 

Aquela ilha era o meu corpo.

A terra rodeada de água.

O céu imenso como mortalha.

imagem de Ana Mendieta

Sobre Ana Marchand

sou uma creatura sou uma creatura no meio de imensas outras criaturas. sou um pouco deste planeta e muito deste universo. busco o calor e a luz. fabrico imagens , olho atentamente ,deixo nas folhas dos cadernos essa memória , o registo, o arquivo leio , leio muito. rodeio-me de sons. sou nómada , viajante, curiosa, estudante. gostaria de me consumir totalmente, sem deixar resíduo.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

SEJA TRISTE, COMENTE