os longos dias

entre orbitas vadias  e noites claras.

equador , deserto , calor

facho,faisca, fogo.

 

selando o luto no punho,

os longos dias do final de junho

 

 

 

(imagem by Alamy-24h. de sol em Dedhorse , Alaska onde o sol nasce a 15 de maio e põe-se a 28 de julho)

Sobre Ana Marchand

sou uma creatura sou uma creatura no meio de imensas outras criaturas. sou um pouco deste planeta e muito deste universo. busco o calor e a luz. fabrico imagens , olho atentamente ,deixo nas folhas dos cadernos essa memória , o registo, o arquivo leio , leio muito. rodeio-me de sons. sou nómada , viajante, curiosa, estudante. gostaria de me consumir totalmente, sem deixar resíduo.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

3 respostas a os longos dias

  1. albertino.ferreira diz:

    Fotografia belíssima que fazem lembrar mil sóis antes de ler o poema. Embora a Suécia não seja o Alasca (vivi em Estocolmo durante 4 anos) nesta altura em que os suecos festejam o Midsommer, nunca é noite. São as Noites Brancas de S. Petersburgo, Dostoievski dixit e escreveu.

  2. nanovp diz:

    Uma belíssima trajectória….

SEJA TRISTE, COMENTE