Coisas que só no Verão

 

Dias de Verão, a mão na mão e um limão

a suspirar por laranjas, pois então.

Laranjas ou azuis, sem & nem Ão. Um simples E… e juntos estão.

Juntos como céu e nuvens, em botão

bóia em contraluz e, sem razão,

como um sol nascente em contramão

a luz afasta as nuvens qual lençol

e arredonda-se como um pão mole.  

E se a rima é pirosa a métrica então…é de ir afogar as mágoas ao balcão.

São tolices a rodo para a colecção

Sem aviso, como o verão, dia sim ou dia não,

canção sim… em dia não.

 

Sobre Teresa Conceição

Ainda estou a aprender esta terra de hieróglifos. Tenho na mala livros e remoinhos, mapas e cavalos guerreiros, lupas e lápis de cor: lentos decifradores.
Sou nativa de Vadiar, terra-a-terra. Escrever? Ainda não descobri onde fica. Mas parto com bússola e farnel (desconfio que levo excesso de bagagem).

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

4 respostas a Coisas que só no Verão

  1. Bea diz:

    Gostei dessa rima sem prosápia.

  2. Obrigada pela gentileza, Bea!
    Mas olhe que pelo menos a canção se safa. A imagem é tão má como a rima, mas os sons do Bobby McFerrin dão para todas as coisas favoritas 🙂

  3. A Vieira diz:

    Fabuloso texto, a esquecer a verborreia inventiva de quem nos “governa” ou governa-se ????…..

    • Obrigada pelo comentário, A Vieira.
      A estação tonta poderia fazer-nos esquecer de quem se governa a governar-nos. Mas as ‘tonterias’ parece que não se manifestam só no Verão.

Os comentários estão fechados.