Pé no pedal e mordam-na

 

 

Podia vir aqui queixar-me e dizer que o Escrever É Triste está a agonizar, mas se calhar é só do Verão e um dia destes voltam em força os Tristes todos com posts fabulosos. A sério, eu acho que depois de ver a coragem, o bom humor, a atitude positiva e marcelo-rebelista de Eliane Rodrigues, pianista brasileira, atrevo-me lá eu a queixar-me.

Vejam estes oito minutos de surpresas e deixem-se lá dessa coisa de “ah, eu atiro-me à vida!” Não se lhe atirem, que não chega. Pé no pedal e mordam-na, que é o que a vida quer, que a comam.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

5 respostas a Pé no pedal e mordam-na

  1. Bea diz:

    Admirável a atitude da pianista. Fairplay em toda a linha.

  2. EV diz:

    Qual agonia no EET!… Pousio.

  3. Pousio. E preguiça de quem tem obrigações, porque tem deveres.Para com os blogues. Pronto, é Verão, está calor.Ingratos. Mas esperem-leitores-por Outubro, quando não há nada para dizer e ainda assim ninguém sabe como escrevê-lo.
    Se não se banha a tristeza duas vezes no mesmo blogue, banhem outra coisa. Frio, constipações, gastro-enterites, sexo, dietas vegan. Mas escrevam vocês. É logo outro asseio.

SEJA TRISTE, COMENTE