Nem sei se te ame se te odeie

Seu destruidor de corações!

Estava aqui a olhar para Steiner. Este Steiner. Tudo quanto gosto num homem, ele tem. E quando fala, ou melhor, quando leio o que escreve, percebo claramente o significado de “mas dizei uma palavra e serei salva”. Nem sei se haverá melhor religião do que esta, mesmo melhor comunhão do que a do significado, a música, a literatura, a poesia, a pintura, enfim, a deste pensamento que nos libertou e elevou o olhar do chão para o horizonte e o alto. Ai o raio dos amores impossíveis… Ou melhor, ai o raio dos homens ideais que, por existirem, nos dão cabo da possibilidade amorosa!

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

2 respostas a Nem sei se te ame se te odeie

  1. albertino ferreira diz:

    Steiner é um dos mais lúcidos pensadores actuais. apesar de alguns intelectuais da nossa praça não comungarem das suas ideias. Os ensaios sobre Martin Heidegger e Tolstoi ou Dostoievski revelam toda a sua erudição e pujança intelectual. Só lamento que tenha dito em recente entrevista ao Expresso (mais ou menos isto) ;que após os 90 anos e uma vida cheia já não se anda cá a fazer nada e mais vale morrer…

Os comentários estão fechados.