Artes Performativas

ARTES PERFORMATIVAS

O amor de um homem, numa mulher,
cria um território novo: de corpo, de riso,
de pensamento. O território irrompe de
uma nascente inesgotável:
o prazer de amar quando é amada
faz da mulher a flor em flor e em força.
O que ele diz, o que ele faz, a mesa
do dia-a-dia posta sempre para dois, e
o tango de malícia, e o lado a lado.
O amor de um homem elege a mulher.
Nada é mais sexy do que saber deste
ombro a ombro – mesmo quando cada um
está para seu lado, o tango dança-se.

Nem sempre um homem ama a mulher.
Nem quando diz, faz, põe a mesa e o tango,
vive ombro a ombro. Nem sempre.
Por vezes ama apenas o seu próprio tesão.
É natural, assim, que saia em busca de um
novo território para o tesão cada vez mais velho.
Não é amor.
Não há flor. São só artes performativas.

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

2 respostas a Artes Performativas

  1. albertino.ferreira diz:

    Toda a nudez forte da verdade num belo e simples poema…como é timbre da autora. Gostei.

SEJA TRISTE, COMENTE