Aquivos por Autor: Bernardo Vaz Pinto

Sobre Bernardo Vaz Pinto

Não conseguiria nunca ser bailarino actor ou cantor sem aquela coragem segura que lhes permite não desfalecer sob os olhares escondidos de qualquer audiência. Prefiro esconder-me sob uns traços gordos de um lápis de lâmina macia, em fundo branco de papel, acarretar a velocidade lenta de uma qualquer construção que se faz colocando pedra sobre pedra. Ou passar tempo a decifrar, agora por detrás destes óculos de vidro, caligrafias de ficção e poesia, que acabam por aparar a nossa existência, e até moldá-la, abrindo portas a novos sonhos e realidades que não vislumbrávamos até à data. A música. Negra, principalmente riscada nos pântanos de new orleans, e no fumo gelado do south side de chicago. O jazz num solo de Baker, o Miles de pés e mãos marcadas pelo tempo e pelos abusos num concerto em Tokio onde a língua falada era mesmo a música. E Bach. E sempre Bach. De resto, pouco mais, entre a vontade de sonhar a vida e o sonho de vivê-la. O olhar da estrada que passou que ilumina o caminho incerto do futuro. A vontade de expelir para fora o ar que nos fica preso cá dentro.

Diários da Solidão (4)

Chegar cedo, empurrar as portadas para deixar entrar a luz única da manhã. Abrir janelas, sentir o ar que ainda tem o sabor a folha verde. Fresco. Ver as bolhas da parede que deixa cair poeiras, arrastando os olhos pela … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 6 Comentários

Diários da Solidão (3)

    Há, nas tardes de sol, um momento em que o tempo pára Não sabemos bem porque o deixamos passar. Há nas horas que passam um dedo que desenha no chão Uma mão que tenta agarrar a luz. Há … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 4 Comentários

Diários da Solidão (2)

James Turrell Estes são os dias de leitura. Talvez para saber mais um pouco de alguma coisa. Para quê não sabemos bem. O fascínio do conhecimento convence-nos. Entender aquilo que estava escondido, perceber a ligação entre algo que aconteceu no … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 10 Comentários

Diários da Solidão (1)

Quando escrevo não consigo ouvir música. Também não consigo ler e ouvir música ao mesmo tempo. Bem…depende. Há vezes que tenho de ouvir música, por exemplo ao fim de um dia agarrado ao computador. Aí quero ouvir Yo La Tengo, … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 13 Comentários

Passou por Aqui…

William Tyler. Mais do que o guitarrista que durante anos tem acompanhado os Lamchop, Tyler tem vindo a fazer uma subtil carreira a solo, inspirado por uma América escondida, silenciosa , afastada das grandes cidades. A planície e a estrada … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 5 Comentários

Tanto e Tão Pouco

Saudades de sinos, cheirar o ar verde que se encosta, silencioso, através das montanhas. Subir a serra, raspar os dedos pelo musgo já seco agarrado ao granito rugoso. Na casa vazia o chão de pedra parece pesado, escuro, sobre a … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 2 Comentários

Natal Azul (2)

O vento, odores a eucalipto e pinheiro, da praia à encosta de terra vermelha. O verde das copas redondas dos pinheiros mansos que se aproximam, enquanto o sal na espuma branca do mar vai ficando para trás, o ronronar das … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 1 Comentário

Natal Azul

  Mergulhar num oceano azul que se move lenta e suavemente, indiferente ao nosso peso e vontade. Mergulhar. A luz branca do sol perfura a superfície translúcida e desaparece no infinito azul profundo, a vertigem quando nos sentimos a flutuar … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 4 Comentários

Please Don’t Pass me By

  A capa da cassete tão gasta como a própria fita. As letras cantadas de cor…over and over again… uma noite limpa parámos o carro , e de portas abertas, o céu escuro pontilhado de prata, deixámos que Cohen cantasse … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 5 Comentários

Quando me faltas.

  wall with clouds, 2016   O tempo passa como se fosse um sopro. Contínuo até que paremos para olhar, mas sem o ver. Vemo-nos a nós próprios, em tempos passados. Ou pensamos que nos vemos, talvez sejam apenas sonhos … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 4 Comentários

O Som da Palavra

Most of the time it’s well understood Most of the time I wouldn’t change it if I could I can make it all match up I can hold my own I can deal with the situation right down to the … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 4 Comentários

Falavas com a Lua

-Andas a evitar o J   e ele não me larga, a querer saber o que se passa,   o que foi que fez, o que aconteceu lá em Barcelona, ou Madrid já nem sei exactamente…Logo eu porra, que tenho … Continuar a ler

Publicado em Museu das Curtas | Comentários fechados em Falavas com a Lua

Uma Polémica Actual

Se fosse possível olhar a nossa própria vida de fora, como que da lua, talvez pudéssemos caracteriza-lá mais objectivamente. Olhamos para o mundo de hoje, cada vez mais individualizado, arbitrário, extremo, e temos dificuldade em descrevê-lo objectivamente. Felizmente que podemos … Continuar a ler

Publicado em Está Escrito | 6 Comentários

À Deriva

Anos atrás tinha os pés enterrados numa areia seca e rugosa. Fazia calor e havia pouca gente na praia. Também ainda não era Verão, o tempo não tinha aquecido, as ondas batiam com alguma força numa rebentação abrupta. Sentia a … Continuar a ler

Publicado em Ficção | 5 Comentários

Uma Lista com Melodia

Não há nada como uma lista…Há quem não saia de casa sem uma para ir ao supermercado ou quem faça as malas com uma bem arrumadinha ali ao lado da cama… E  quem se casa sem uma ?  Alguém organiza … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 8 Comentários