Aquivos por Autor: Manuel S. Fonseca

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.

A roçar-se pelo delírio

Aí estão eles, embrulhados na mesma cama: Kennedy, o pai de todos os Kennedys, e Gloria Swanson, a maior diva dos anos 20. Kennedy despachou o marido da Swanson para um dia de pesca no alto mar e mandou Rosa, … Continuar a ler

Publicado em Post livre | Deixe o seu comentário

O riso de Agustina

Fui editor de três livros e um texto inédito da senhora Dona Agustina. Mas o que é ser editor de Agustina Bessa Luís? É, digo eu, estar sentado, olhos colados aos vivos olhos dela, os ouvidos presos à sua voz, … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 9 Comentários

EPICUR, é Primavera

A EPICUR da Primavera já chegou às bancas. Tenho obscuríssimos interesses que me fazem vir aqui promovê-la. Dirigem-na dois amigos meus, o Mário Rui de Castro e o Pedro Marta Santos, esse Triste absentista que assina o editorial, no qual … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 2 Comentários

El-rei Junot, de Raul Brandão

Dizem que é um livro de história. E eu digo que é um dos grandes romances do século XX português. Um romance esquecido, ignorado, confundido com um “relato” por quem não sinta o rio de lama da dramaturgia que lhe … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 5 Comentários

Grandes discursos: Ich Bin ein Berliner

Este é um livro de heróis. Um livro de batalhas, de vitórias e de derrotas. Nalguns casos de derrotas que vão até à morte. Mas às batalhas, à euforia da conquista, ao luto que caminha ao lado dos féretros, à … Continuar a ler

Publicado em Está Escrito | 1 Comentário

As mãos de um católico

Sei lá se Joseph P. Kennedy gostava de cinema. Sei que nos filmes em que nós vemos sonho, ele viu ouro. Estou a falar do Kennedy pai dos Kennedys e o cinema, 1927, é o mudo dos estúdios de Hollywood … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 2 Comentários

António Lobo Antunes ou a literatura?

A Gala da SPA, Sociedade Portuguesa de Autores, devia ser – e foi, e é – uma festa dos autores e da literatura. A Gala deste ano teve um brinde extraordinário, uma dádiva dos deuses. Chamemos a esse deus António … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 7 Comentários

Entre as estrelas

Foi na noite de terça-feira, na Cinemateca. A casa, a que tanto deu, homenageou e bem Rui Santana Brito, que foi director da biblioteca e vice-presidente. Convidado para participar li este texto, versão mais alargada do que já aqui escrevera, … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 8 Comentários

A Criação

    Para o filho de camponeses que eu sou, confesso que a polissemia do termo me tem desgraçado. Há a Criação, essa obra visível e invisível do Ser Supremo, a que, com a autorização do probation officer que é Richard … Continuar a ler

Publicado em Escrita automática | 8 Comentários

Invadimos o São Carlos

Fomos ver Donizetti, que nasceu em Bergamo e morreu em Bergamo. Fomos, portanto, ver um fantasma dele que trouxeram ao São Carlos. Donizetti é, na linhagem desses operários que fizeram a ópera, um tipo entalado entre Rossini e Verdi, o … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 4 Comentários

O papa apóstata

Só há um papa, Anthony Quinn. O cinema não é só melhor do que a vida, o cinema antecipa a vida. Em “As Sandálias do Pescador”, filme da minha infância, Quinn fundia a bondade de João XXIII com o intervencionismo … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 7 Comentários

Todo o cirurgião é um actor

Este post contem imagens que podem chocar pessoas mais sensíveis Eu não sei nada. O António Setúbal sabe tudo. Eu nem sequer consigo dizer de um só vez o nome do que ele sabe: endometriose. Digo que é uma doença do … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 2 Comentários

Puissance de la parole

Era 1989 e parecia não haver coisa mais bonita do que a publicidade. Até aparecer um pequeno filme de Godard. Em vídeo. Eu escrevia, com total liberdade editorial, o que muito bem me apetecia, no jornal “Semanário. Fiquei siderado e afligi … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 8 Comentários

Sei que vou morrer

  Toda a gente sabe. Até um miúdo de 15 anos. Vamos supor que a mãe ou o pai lhe dizem isso, que vão morrer um dia destes. O miúdo ou a miúda, com um inflexão paternalista, logo dizem que sim, … Continuar a ler

Publicado em Escrita automática | 14 Comentários

Fujam para Samarra!

Por onde anda a morte? Disfarçada no capachinho de Trump, na rasteira solidez de Putin? Que morte rumina na paz de cemitério da geringonça? A morte será ainda a velha morte, a senhora de branco que, contou ele, uma noite … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 6 Comentários